quarta-feira, 13 de julho de 2016

Ondas do meu senti



Onde me levas que rumo incerto,
Com meu sentir perdido em teus passos
Ando perdida neste deserto.
Pedindo guarida nesses teus braços.

Caminhando à toa sem fé nem razão
Quase desvairada neste meu sentir
Procuro sem rumo nesta multidão
Que é o meu cansaço que passa a fugir.

Há beira de um rio de um mundo qualquer
Eu calo esta dor que dói sem doer
Nas águas que correm eu fico esperançada
De te ver passar já quase sem ver.

Meus olhos cansados de tanto chorar
O nó na garganta não posso engolir
Sem força nas pernas não consigo andar
  Deito-me na cama
       E não posso e não posso dormir.


Enviar um comentário

Publicação em destaque

CONTEMPLAÇÃO

CONTEMPLAÇÃO Saltei, brinquei, sorri e chorei Senti o vento por mim a passar. Vi os vaga-lumes no escuro a brilhar. Vi as ma...