quarta-feira, 13 de julho de 2016

Dei-te o meu amor.











Dei-te a alegria dei-te a tristeza
Dei-te a loucura da minha dor
Dei-te o meu mundo cheio de incerteza
Dei-te o meu abraço cheio de amor.

Dei-te o meu beijo cheio de mel
Dei-te a beleza das melodias
Na tua boca matei a sede
Hoje estou só de mãos vazias

Fez-se silêncio na noite escura
E o meu dia não quis nascer
Não há calor que me aqueça a alma
Longe de ti só quero morrer.


Amor és erva daninha
Que nasce em qualquer lado.


Enviar um comentário

Publicação em destaque

ESSA LUZ QUE VEM DE TI

                                           Não desligues meu amor Essa luz que te ilumina Porque a tristeza só está ...