quarta-feira, 13 de julho de 2016

Amor distant




Daqui deste cantinho adormecida
Refúgio do meu peito redentor
Te ofereço rosas brancas minha vida
Em paga do teu grande, grande amor

Daqui também te envio a minha pena
Deixada pela voz deste meu pranto
Tu és a inspiração do meu poema
Por ti a solidão onde me encanto

Aqui nesta distância eu ficarei
Olhando para a lua tão real
Confesso meu amor como te amei
Agora só me resta vendaval

Carrego a minha cruz com o meu pranto
Não sei se sou feliz porque te quero
Apenas estou coberta com o manto 
Da noite mais profunda onde te espero.


2 comentários:

Nina Filipe disse...

Que linda tua poesia,Nina! Que bom te ver! bjs, chica em NESTE HORIZONTE
Remover conteúdo | Eliminar | Spam
✿ chica
em 29-06-2016

Nina Filipe disse...

Oi Nina estou aqui para inaugurar seu novo espaço. É muito chato ter que passar por esta situação,mas aos poucos vai-se recuperando os arquivos, habitue-se a fazer backup de seus textos e salvá-los em midias externas. Um belo poema da busca paz e que esta paz possamos encontrar, pois o anjo está a vigiar ainda que pareça perdido. Linda casa e vamos a seguir com mesmo carinho e atenção. Um abração com meu carinho. Beijos neste lindo coração. em ANJO PERDIDO
Remover conteúdo | Eliminar | Spam
Toninho
em 29-06-2016

Que linda tua poesia,Nina! Que bom te ver! bjs, chica em NESTE HORIZONTE

Publicação em destaque

CONTEMPLAÇÃO

CONTEMPLAÇÃO Saltei, brinquei, sorri e chorei Senti o vento por mim a passar. Vi os vaga-lumes no escuro a brilhar. Vi as ma...