sábado, 17 de setembro de 2016

Que fazer quando a saudade pesa tanto


Um dia quis sair de casa, porque há muitos anos
                                   Trazia uma enorme carga em cima dos ombros e espalhada
Por todo o corpo, pensei meu Deus como me posso separar desta
Impiedosa carga, pensei, pensei, então resolvi abandona-la o mais longe
Possível. Caminhei durante um dia todo, mas em cada passada deixava uma flor
Para que assim eu não me perdesse de volta.
Fez-se noite, já cansada adormeci, quando tentei voltar vi, que todas
As flores se tinham reproduzido e florido… com as mais belas cores com que DEUS as pintou
Então, aí estava mesmo perdida! Pois já não soube mais encontrar o caminho, todas elas me pediam que as apanhasse sem deixar nenhuma delas. Para trás, assim as fui colhendo de uma, a uma,
Até que já não tinha mais espaço nem força para poder com elas, de tão cansada que estava deitei-me no chão e adormeci, acordei com muitos gritos, e palavras bem explicitas
Era cada uma delas a gritar, agora ficas a saber! Que as saudades irão sempre estar contigo onde
Quer que estejas e ainda mais, sem que a possas matar... porque ela só morre pela metade e essa metade só no dia em que tu morreres. Porque? Mesmo depois disso, ainda cá deixarás algumas
No coração de quem te ama.
Nunca tentes livrar-te de algo que não podes arrancar de dentro de ti.
A saudade não se compra, não se vende, e, muito menos a podes matar, ela nasce na alma, e parte com a alma, para todo o lugar.


Enviar um comentário

Publicação em destaque

CONTEMPLAÇÃO

CONTEMPLAÇÃO Saltei, brinquei, sorri e chorei Senti o vento por mim a passar. Vi os vaga-lumes no escuro a brilhar. Vi as ma...